Charuto do Recôncavo da Bahia tem pedido de Indicação Geográfica no INPI

Charuto do Recôncavo da Bahia tem pedido de Indicação Geográfica no INPI

Charuto do Recôncavo da Bahia tem pedido de Indicação Geográfica no INPI

Comentários fechados em Charuto do Recôncavo da Bahia tem pedido de Indicação Geográfica no INPI
 

Iniciado processo de IG para charuto do Recôncavo da Bahia.

INPI

Imagem: INPI / Reprodução.

Charuto é produzido de forma artesanal e exclusivamente pelas mulheres da região do sul do Estado.

O charuto do Recôncavo da Bahia tem mais de 450 anos de história da produção. Com originalidade e qualidade reconhecidas no Brasil e no exterior, algumas marcas produzidas na região são enquadradas como Premium ou de qualidade superior. Por isso, o já tradicional Charuto busca consolidar sua qualidade e notoriedade por meio do reconhecimento de uma denominação de origem, o que irá proporcionar melhor identificação e valorização das especificidades do charuto, diferenciando assim o “Charuto do Recôncavo da Bahia” dos demais.

Com o intuito de desenvolver a ação para o registro do Charuto do Recôncavo, uma equipe do Departamento de Propriedade Intelectual e Tecnologia Agropecuária (Depta), da Secretaria de Desenvolvimento Agropecuária (SDC) e da Superintendência Federal da Agricultura da Bahia, ambos do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), juntamente com a Federação das Indústrias do Estado da Bahia (Fieb), o Sebrae, o Instituto Baiano de Metrologia e Qualidade (Ibrametro) e o Instituto Nacional de Propriedade Industrial (Inpi), visitaram a região em fevereiro deste ano  para conhecer um pouco mais sobre as variedades cultivadas, as condições de produção e de processamento.

Os charutos produzidos na região já são exportados para a Europa, onde são bastante apreciados, e para os Estados Unidos. A variedade do tabaco plantado no Recôncavo Baiano proporciona a produção de um tipo de charuto diferente de qualquer outro do mundo. Para o secretário de Desenvolvimento Agropecuário e Cooperativismo (SDC), Caio Rocha, além de trazer visibilidade para a região, a produção de charutos é importante para o fomento da economia. “A cultura de charutos no sul da Bahia é muito interessante, pois utiliza mão-de-obra artesanal e feminina, já que as mulheres são mais atenciosas e perfeccionistas quando se trata da finalização do produto. Isso agrega ainda mais qualidade ao produto. Com a Indicação Geográfica , ele será único e terá uma identidade definida”, ressaltou.

A partir da visita, que acompanhou todo o processo de produção do charuto, desde o plantio das sementes até a produção propriamente dita, foi elaborado um Plano de Ação para o registro da Indicação Geográfica. Dentro deste plano, cada parceiro se comprometeu em apoiar os produtores da região para que possam cumprir as atividades específicas e assim que as mesmas forem concluídas, o pedido de registro será protocolado no Inpi.

Publicado em 13/03/2014.

Fonte: Ministério da Agricultura

Tags:

Related Posts

Back to Top